Aaham!

15 feb. 2009

13.2.9
Ufa! Sexta-feira. Semana de intenso trabalho,intensa vivencia e de muita aprendizagem. Grande semana. Agora ao escrever, para que isso fique eternamente guardado e eu nao me esqueca com o tempo, a primeira coisa que me vem ao escrever foram as visitas ao pueblo. Para escolher os temas dos documentarios fomos visitar uma cidade aqui ao lado que se chama Bauta. Para isso tinham pessoas mobilizadas a nos apresentar algumas coisas para possiveis temas. Entao conhecemos diversas coisas, cmo teatro,danca,um senhor de 92 anos impressionante, um outro que transpirava sabedoria, conhecemos uma comunidade em homenagem ao Vietnam surreal, tomamos cafe, tocamos musica e aprendemos antes de tudo com a sabedoria humana. Com a grandeza humana.
Antes de comecarmos a procurar os temas estavamos tendo ums discussoes um pouco formais sobre a forma de fazer documentario, elementos importantes de narativa,e etc... Todos falavam o que era necessario como imagem, narracao,... e o professor disse: tenes que tener bomba. Ninguem o comprendeu. E ele respondeu: tem que tr coracao, sentimento, sem isso nada vale a pena ser feito. Penso que no documentario especialmente, pois se nao ha uma humanidade, se nao e capaz de te sensibilizar com coisas singelas e infinatamente belas, tal qual um sorriso de uma crianca, um campones cantando, uma conversa aparentemente banal com qualquer cidadao de Bauta. Se nao es capaz de ficar sensivel a isto, penso (eu) que nao vale a pena fazer documentario. Realmente fiquei tocado com algumas coisas, e com a gana que este povo tem de ajudar, de ser humano. Uma vez ouvi minha mae dizendo que a literatura tem a funcao de trazer humanidade a coisas simples. Acho que o documentario se inclue nisso. Ate porque documentario lida com, acima de tudo, a etica. Se trabalha com vidas reais, com historias e passados proprios. Com sentimento e vida. Se precisa ter respeito e cuidar muito com o que se faz. E o objetivo fazer com que todos se vejam como iguais. Que sao todos seres humanos. Humanizar.
Estou em um convento da setima arte, como dizem, e nossos gostos em muito se parecem. Talvez por isso estou um pouco sensivel e um pouco mais crente na bondade humana.
Formei um grupo com um brasileiro que se chama Josafa, muito boa pessoa. E com uma menina chamada Joana que È espanhola, basca de Bilbao. Nos tres temos uma afinidade grande em gosto. Fiquei contente com esse grupo. Vamos fazer um documentario um pouco experimental, vamos tentar entrar na subjetividade de um pintor de Bauta, entrar no inconsciente dele e tenar representar isso de forma audiovisual.Espero que seja tudo certo.
Temos aula todos os dias nos tres turnos entao esta bem puxado, e muito recompensante. Grande experiencia.
15.2.09
Ando me cobrando demais. Nao sei quem sou, sei do que gosto de ver mas nao de fazer. Me cobro em ser alguem capaz de ter acesso a todas realidades mas a timidez, estupida timidez me inibe. Ontem deixer de ir a Havana por bobagem minha e depois fiquei me cobrando porque havia deixado de ir aprender, conhecer novas coisas. Resolvi entao ir caminhando a San Antonio de Los Banos, na metade do caminho conheci uma mulher de 40 anos, resolvi voltar com ela e desistir do objetivo inicial. Foi bom para conversar me desinibir mas nao criei coragem para pedir para filma-la. BURRICE. Novamente passei a me cobrar. Depois ao saber que meu colega que foi a Havana estava por fazer um mini documentario sobre um cantor que ele viram, fiquei ainda mais irritado comigo mesmo porque nao consigo fazer o mesmo. Sei que todos sao diferentes, mas fico com a sensacao que nao È possivel (para os outros) me levar a serio dessa meneira.Ser menos timido e conversar com as pessoas sem dificuldades. Mas fico pensando que hoje em dia, os timidos estao cada vez mais fudidos. Em uma sociedade de aparencias todos se poem a falar quem sao, que leem, que sabem de musica,...criar para os outros a sua imagem. Eu nao consigo e nem me sinto bem com isso, varias vezes me prejudico, perco opurtunidades, mas... È a vida. Me ponho a pensar que o documentarista principalmente nao deve ser timido, mas a timidez faz revelar algo muito mais profundo, algo talvez nao possivel de ser expresso com palavras. As vezes considero um olhar, um gesto, uma hesitacao muito mais revelador do que palavras. E sou um pouco assim.
O fato bom È que conheci um alemao que nao chega a ser timido mas È de poucas palavras que anda me mostrando que nem sÛ os que nao param de falar, se mostrar, sao levados a serio. Aqui todo mundo respeita esse alemao. Mas tambem È um cara rodado, ja viajo a varios lugares e hoje trabalha na Mongolia. E alem disso È o mais velho do grupo. E eu, o mais novo.
Vamo indo.

4 comentarios:

  1. Eae Daniel...
    To gostando mto dos teus relatos e espero q tu continue podendo escrever. Tenta esquecer essa timidez ae e aproveita pra filmar tudo que for possivel pq dpois tu vai poder lembrar e ateh fazer um video da viagem. Alem de filmar ve se tira mtas fotos dessas pessoas q tu conheceu pra gnt poder ter uma ideia.Continua aproveitando mto ae e fazendo tudo que for possivel pq eh uma experiencia unica q tu vai ter pra tua vida toda.
    Um grande abraço...
    Thiago

    ResponderEliminar
  2. Dalhe Dinateira!!
    Acredito que a sensibilidade que tu ta tendo em observar esses aspectos que passam longe do simples deslumbramento com a ilha são mais importantes do que essa timidez que te encomoda.
    Aproveita pra trocar essa idéia com essas pessoas que vão te acrescentar tanto. Certo que tu não te arrepender depois...
    OBS: não esquecer o charuto do camarada!! HEHE

    Abração!!

    ResponderEliminar
  3. Dalhe Dinateira!!
    Acredito que a sensibilidade que tu ta tendo em observar esses aspectos que passam longe do simples deslumbramento com a ilha são mais importantes do que essa timidez que te encomoda.
    Aproveita pra trocar essa idéia com essas pessoas que vão te acrescentar tanto. Certo que tu não te arrepender depois...
    OBS: não esquecer o charuto do camarada!! HEHE

    Abração!!

    ResponderEliminar
  4. Olá Daniel, adoro ler suas experiencias em Cuba. O importante é voce ser e saber ser humano, saber ouvir o seu coração e fazer o que te faz feliz, pois a timidez faz parte da sua personalidade e com o tempo voce vai aprender a se livrar dela.
    bjs, tia filó.

    ResponderEliminar