Aaham!

18 feb. 2009

Dale ! Entrou essa internet lenta!

Pelo menos mulheres de 40 anos eu to conseguindo agradar mas nao saiu do papo ( como sempre ) , mas dessa vez eu agradeco. Nao era esteticamente agradavel, vamos dizer assim. Para 40 estava muito bem ( para os de 40) , alias como o cubano em geral que aparente sempre menos do que tem. Ouvi dizer que Fidel distribui botox nos postos de saude para que a Revolucao nao envelheca.
xxxxx
Claro Victoria que tua mae vai ser mais simpatica do que tu, e alias quem é o querido. Mas que bom que estao comentando. To com vontade de come uma torta de maracuja. Nao se pode dizer que a comida aqui é ruim, seria mentira, mas é um pouco seca. Geralmente faco um gargarejo com azeite antes de comecar a comer para descer melhor. oiuhaio.
xxxxx
Grande grupo esse meu do documentario. Josafa é uma figuraca, nao para de filosofar sobre tudo. Mas diz coisas muito interessantes. Joana é nossa musa (chamamos de musa mesmo). Encantadora. Mas um panamenho safado nos robo ela. iuhaio. O Josafa fico meio abalado. Dei um livro para cada um, espero que possamos seguir nos falando depois.
Temos falado bastante sobre esse curso de 3 anos que ha aqui. Nao sei se aguentaria mas parece ser demais. Toda hora trazem professores de fora da ilha, sempre tem palestras e é muito intenso. Ao mesmo tempo é um pouco distante da realidade. Só se vive cinema. O bom é que nao parecem sofrer do glamourides cinematograficos ( que merda isso ) . Explico, aquelas pessoas que fazem cinema porque acham bonito os flashes dos fotografos no Oscar. Aqui nao ha tanto. Ta mais pra Cinema Novo. Vai ser dura a volta eu to achando, nesse aspecto. Hoje tem palestra com uma extrangeira para a escola toda, mas ela vai ficar duas semanas com o pessoal do curso regular. E isso tem toda semana, grandes profissionais vem pra cà. E tem equipamento bom, o que tambem é muito importante. Foda
xxxx
`viajar e retornar para dentro de si mesmo´ Josafa Veloso ( apos uma boa dose de ron ). Isso ta fazendo muito sentido, viajar te faz conhecer quem tu és, teu interior. Eu tenho descoberto algumas coisas sobre mim, e aceitando outras melhor. Sendo quem eu sou mesmo. Muito bom isso.
xxxx
Victoria: Lampreia é um livro de um escrito checo dos seculo 18, que fala sobre a tenacidade e a fugacida.... besteira. Eu achei bonito esse nome e botei. nao tem nenhuma razao logica e inteligente. É um peixe muito feio, horivel.
xxxx
Vamo indo!

17 feb. 2009

Agora Neosexual! Que bom que inventaram um rotulo para estas pessoas tambem. Me sentia um pouco nu, e perdido. Que bom.
Mas brigado mesmo pelos comentarios.

Acabamos hoje de filmar. Cansativo e muito legal. O pintor é um filosofo, grande apaixonado por sua mulher e familia, e consciente da importancia da arte. Nao sei como ficara o resultado final, mas o ´tema´ era sensacional. Espero consiguir levar uma copia para Porto Alegre. Agora vem outra grande parte de edicao e pos producao em geral. Sera cansativo tambem.
Otimo poder trabalhar em grupo mas ao mesmo tempo desgastante. Sempre alguem tem que ceder. Se aprende muito mais, e se dividem as responsabilidades. Mas como cinema e documentario é algo muito subjetivo, as ideias se confrontam e algo tem que ser decidido. Tenho aprendido bastante com isso, mas nao posso negar que as vezes da vontade de ter uma equipe propria e poder fazer o que der na mente. Gracas a Deus nao é o caso, tenho muito o que aprender com isso tudo. E cada vez mais vemos que nao ha nada como a pratica, muito melhor feita com um embasamento teorico por tras. Porem e na hora do show que vemos os problemas e resolvemos rapidamente.

Estavamos comentando da falta de liberdade dos cubanos, realmente é algo foda.Ninguem tem coragem de dizer sim e tomar uma decisao. Penso que Fidel decide tudo nessa ilha. ha um medo de ter alguem acima, e a que tu faca a cagada. Entao fica tudo por isso mesmo. Ao mesmo tempo o cubano é um artista, faz da vida um circo. Inventa para sobreviver e é muito orgulhoso. Reconhecem tudo de bom da ilha e nao perdem a graca com tudo de ruim que há.
Esses dias tive uma ideia ( nao sei da onde ) de caminhar 8 km de ida e mais 8 de volta para conhecer um povoado aqui do lado. Nos primeiros 3 meu pè ja tava gritando, e eu comecei a pedir carona. Queriq ter uma aventura diferente sim, mas meu pè doia mesmo. ( aqui todo mundo pede carona, pois diz-se que é obrigatorio ). Quando cheguei no 4 encontrei uma mulher de uns 40 anos e perguntei quanto faltava. Só no olhar dela percebi que eu tava longe, ela comeceu a me explicar e eu falei : vou voltar contigo. Viemos conversando, ela disse que caminha sempre que vem a trabalhar esses 16 km. Fiquei quieto. De repente ela falo que a Uniao Sovietica ia libera dinheiro para as centrales ( industrias pequenas ou algo assim ). Depois disse que o presidente Kennedy ia ... to brincando. Ela nao tava muito satisfeita com a revolucao e viveu toda sua vida nela. Mesmo assim era gente finissima. Falou que me levava para sair, me deu o endereco da sua casa e disse que me mandaria postais ao Brasil. Vou mandar pra ela tambem. E completou falando que da proxima vez eu nao pagasse hotel, que eu ja tenho uma casa em Cuba. Alias duas, o pintor do documentario disse o mesmo. Maravilha.

Acho que voces tao se combinando de fala bem desse blog. Eu acho que ta bacana mas tao enchendo a bola. Brigado

16 feb. 2009

Depois do meu desabafo um tanto gay de ontem, venho dizer que hoje foi do caralho, bem viril assim mesmo. Filmamos o primeiro dia com o pintor, como sempre fomos muito bem recebidos ( suco,lanches e principalmente boa vontade em botar seis desconhecidos em sua casa) e foi muito proveitoso. Passamos o dia e gravamos uma hora e meia. Eu disse seis porque alem dos tres do grupo ha um sonidista, fotografo (camara) e produtor. È fino o negocio. O fotografo trabalhou como assistente de camara em Memorias do Subdesenvolvimento ( um dos mais famosos filmes cubanos e latino'americanos), e ja tem 60 e picos. O sonidista è jovem, ja tem uns 59. Diferente poder trabalhar com uma equipe de profissionais, se aprende muito. Demais. Vou tentar fazer o making of junto para pegar mais pratica. Amanha filmamos de novo e provavelmente acabamos. Da um incentivo e gana de fazer mais coisas no Brasil quando voltar.

Realmente agradeco pelos comentarios, eh muito bom ler e pensar em cada um. Viaja sozinho deixa a pessoa mais sentimental e melosa. Pelo menos eu. Acredito serem sinceros, mas se nao forem estao me fazendo bem igual. Agradeco a familia e aos guris (Gabriel, Eduardo, Dudu, Henrique, Germano,Bruno e etc...). Vamo indo.
obs: pode deixar que eu levo uns charutos, tem um velhinho dentro da escola que faz uns contrabando e vende por 200 reais mais baratos os charutos. Nao garante a procedencia mas pra quem fuma merda de cavalo ta valendo. To brincando

15 feb. 2009

13.2.9
Ufa! Sexta-feira. Semana de intenso trabalho,intensa vivencia e de muita aprendizagem. Grande semana. Agora ao escrever, para que isso fique eternamente guardado e eu nao me esqueca com o tempo, a primeira coisa que me vem ao escrever foram as visitas ao pueblo. Para escolher os temas dos documentarios fomos visitar uma cidade aqui ao lado que se chama Bauta. Para isso tinham pessoas mobilizadas a nos apresentar algumas coisas para possiveis temas. Entao conhecemos diversas coisas, cmo teatro,danca,um senhor de 92 anos impressionante, um outro que transpirava sabedoria, conhecemos uma comunidade em homenagem ao Vietnam surreal, tomamos cafe, tocamos musica e aprendemos antes de tudo com a sabedoria humana. Com a grandeza humana.
Antes de comecarmos a procurar os temas estavamos tendo ums discussoes um pouco formais sobre a forma de fazer documentario, elementos importantes de narativa,e etc... Todos falavam o que era necessario como imagem, narracao,... e o professor disse: tenes que tener bomba. Ninguem o comprendeu. E ele respondeu: tem que tr coracao, sentimento, sem isso nada vale a pena ser feito. Penso que no documentario especialmente, pois se nao ha uma humanidade, se nao e capaz de te sensibilizar com coisas singelas e infinatamente belas, tal qual um sorriso de uma crianca, um campones cantando, uma conversa aparentemente banal com qualquer cidadao de Bauta. Se nao es capaz de ficar sensivel a isto, penso (eu) que nao vale a pena fazer documentario. Realmente fiquei tocado com algumas coisas, e com a gana que este povo tem de ajudar, de ser humano. Uma vez ouvi minha mae dizendo que a literatura tem a funcao de trazer humanidade a coisas simples. Acho que o documentario se inclue nisso. Ate porque documentario lida com, acima de tudo, a etica. Se trabalha com vidas reais, com historias e passados proprios. Com sentimento e vida. Se precisa ter respeito e cuidar muito com o que se faz. E o objetivo fazer com que todos se vejam como iguais. Que sao todos seres humanos. Humanizar.
Estou em um convento da setima arte, como dizem, e nossos gostos em muito se parecem. Talvez por isso estou um pouco sensivel e um pouco mais crente na bondade humana.
Formei um grupo com um brasileiro que se chama Josafa, muito boa pessoa. E com uma menina chamada Joana que È espanhola, basca de Bilbao. Nos tres temos uma afinidade grande em gosto. Fiquei contente com esse grupo. Vamos fazer um documentario um pouco experimental, vamos tentar entrar na subjetividade de um pintor de Bauta, entrar no inconsciente dele e tenar representar isso de forma audiovisual.Espero que seja tudo certo.
Temos aula todos os dias nos tres turnos entao esta bem puxado, e muito recompensante. Grande experiencia.
15.2.09
Ando me cobrando demais. Nao sei quem sou, sei do que gosto de ver mas nao de fazer. Me cobro em ser alguem capaz de ter acesso a todas realidades mas a timidez, estupida timidez me inibe. Ontem deixer de ir a Havana por bobagem minha e depois fiquei me cobrando porque havia deixado de ir aprender, conhecer novas coisas. Resolvi entao ir caminhando a San Antonio de Los Banos, na metade do caminho conheci uma mulher de 40 anos, resolvi voltar com ela e desistir do objetivo inicial. Foi bom para conversar me desinibir mas nao criei coragem para pedir para filma-la. BURRICE. Novamente passei a me cobrar. Depois ao saber que meu colega que foi a Havana estava por fazer um mini documentario sobre um cantor que ele viram, fiquei ainda mais irritado comigo mesmo porque nao consigo fazer o mesmo. Sei que todos sao diferentes, mas fico com a sensacao que nao È possivel (para os outros) me levar a serio dessa meneira.Ser menos timido e conversar com as pessoas sem dificuldades. Mas fico pensando que hoje em dia, os timidos estao cada vez mais fudidos. Em uma sociedade de aparencias todos se poem a falar quem sao, que leem, que sabem de musica,...criar para os outros a sua imagem. Eu nao consigo e nem me sinto bem com isso, varias vezes me prejudico, perco opurtunidades, mas... È a vida. Me ponho a pensar que o documentarista principalmente nao deve ser timido, mas a timidez faz revelar algo muito mais profundo, algo talvez nao possivel de ser expresso com palavras. As vezes considero um olhar, um gesto, uma hesitacao muito mais revelador do que palavras. E sou um pouco assim.
O fato bom È que conheci um alemao que nao chega a ser timido mas È de poucas palavras que anda me mostrando que nem sÛ os que nao param de falar, se mostrar, sao levados a serio. Aqui todo mundo respeita esse alemao. Mas tambem È um cara rodado, ja viajo a varios lugares e hoje trabalha na Mongolia. E alem disso È o mais velho do grupo. E eu, o mais novo.
Vamo indo.

12 feb. 2009

Bom, digo que hoje descubri o que gostaria de fazer para a vida. As saidas para o pueblo de BAuta para definir os temas dos documentarios sao experiencias demais. Tocar musica com um senhor de 92 anos, tomar cafe com ele, escutar um outro contar sua vida, ver um grupo de danca contemporanea em um vilarejo que esta nos anos 30, conversar sobre qualquer coisa com um cubano na praca, ver a arte de um pintor tradicional da cidade, escutar musica, conversar com um campones que supostamente lutou na revolucao e etc... tudo isso se resume a, penso eu, a uma absurda humanidade que esta se perdendo por ai. Nada disso sao fatos muito complexos e dificeis. Mas nao tem preco absorver a humanidade, se humanizar e escutar muito, aprender sempre. SER HUMANO. O verbo ser. Estou de certa forma, emocionado. E o que mais tenho feito eh aprender. Com todos colegas da escola ( espanhois, colombiana,brasil,alemao, haiti,mexico,....). Demais. Espero que possa estar sempre aprendendo com a experiencia e riqueza humana.

vou indo,

8 feb. 2009

7.2.09

Chegou ao fim a primeira semana em Havana. Talvez a maior experiencia pela qual ja passei. A primeira semana em uma realidade tao diferente. Nessa semana, exploramos os ponto turisticos e gastamos muito dinheiro. Algo que me incomoda em qualquer viagem È a distancia que fico dos reais habitantes da cidade. Prefiro os pontos onde os habitantes realmente vao e nao os criados para turismo. Tentar entrar em uma realidade que nao È a prÛpria. Isso È o que busco, e tao dificil È. Mesmo no Brasil fico incomodado em ficar preso em uma classe. Em um tipo de vida, onde `tudo`que pode acontecer È ir a shopping,cinema,restaurantes bons e ... Infelizmente o medo e a violÎncia nao permitem uma integracao e troca de experiencias no Brasil. De certa forma me sinto envergonhado em viver uma vida que sÛ preza pelo prÛprio bem estar. Que sÛ olha para si mesmo. ( Sei que ha excecoes, que posso fazer trabalhos comunitarios.... e assim nao viver uma vida narcicista, porem de qualquer forma nao se tem a real experiencia de outras realidades) Sempre imaginei que em Cuba seria diferente, aqui as pessoas pertencem a mesma classe. Que estao juntas, que nao ha porque sentir medo do outro devido a bens materiais e futilidades, como no Brasil.Realmente para os cubanos isso existe, todos estao juntos. Nao ha roubo porque nao ha o que roubar, todos estao iguais. Bom, para nos, turistas, as coisas nao sao bem assim. ME incomodeii com a insistencia dos pedintes, com a esmolacao que para mim parecia a esmolacao de todo um povo. Estes que buscam o teu dinheiro.
Apenas conversando com os moradores daqui se comeca a ter uma nocao desta vida. Acho que ao conver com eles, tive uma minima nocao do que È isso. Nao passo por nenhuma das dificuldades deles e etc. Nao tenho a pretencao de querer resolver seus problemas. Agora ao ir embora, tive a sensacao estranha de que, eu , posso e tenho condicoes de fazer o que quiser. Agora, infelizmente eles ficam e seguem seus cotidianos e vidas. Nessas horas percebo o quao feliz sou e quantas opurtunidades tenho. Espero aproveita-las e, de alguma forma, ajudar estes que ficam ( sejam os cubanos aqui, sejam os pobres e sem oportunidades em todo o mundo).
Espero que isso me mova, estou junto, seja a qual for o tipo de governo, a posicao ideologica, de quem estiver do lado das pessoas, do povo ( nao sÛ o pobre).

Aqui o que nos uniu ( eu e os trabalhadores do hotel) foi principalmente o futebol. Eles ficavam loucos ao saber dos salarios, e das extravagancias dos jogadores. Lhes falei das festas, e lhes dei a ultima revista Veja, a qual fala justamente sobre isso. Penso que este assunto e esta realidade esta tao distante tanto minha quanto deles. So nesse momento conversamos de igual. Nem eu, nem eles vivemos em algo parecido com aquilo. E fomos iguais. Mas logo depois lhes dei umas pastas de dentes que havia trazido, e tudo voltou ao normal.Cada um voltou ao seu lugar. Tambem eles ficaram muito mais felizes com as pastas do que com a revista. Me lembro daquela propaganda ( nao sei ao certo), mas acho que È : nao faca tudo mas faca tudo o que puder. Ao fim , talvez tudo se resuma a isso. Que assim seja.
8.2.09
Cheguei a Escola de Cinema e Televisao de San Antonio de Los Banos. Isso aqui È muito diferente. Tem as proporcoes de um sitio quase, È enorme. E esta no meio do nada, ao olhar para os lados sÛ se ve campo, arvores e vegetacao. Muito bonito. Fica ao lado de umas plantacoes de laranja e citricos em geral, e aqui tambem se planta hortalicas. Bem e no meio disso tudo ha uma escola de cinema. Ja vieram aqui grandes nomes do cinema mundial, como Coppola, Scorcese, Scola, Fernando Birri,e diversoso outros que ajudaram a criar a reputacao que esta escola tem. Por isso vem alunos de tudo quanto È lugar. Espanhois, turcos,brasileiros,argentinos.... E tudo isso cria uma atmosfera incrivel, se respira e vive cinema 24 horas por dia. Nas paredes se ve pichacoes de grandes cineastas ( como Art Never Sleeps de Coppola, e outras que colocarei depois), eles possuem um dos maiores acervos da America Latina, e todos que aqui estao, estao por causa do cinema. Isso È ·nico.
Agora de tarde passam tres secoes de cinema, assisti a primeira que era Alice Nao esta Mais Aqui de Scorcese, vou tentar assistir a ·ltima que È Gomorra ( filme que esta no cinema em POA), um filme italiano. Ao sair encontramos umns brasileiros do curso regular ( com duracao de 3 anos) assistindo Vasco e Fluminense, deve ser uma experiencia maluca cursar este curso de 3 anos. Permanecer 3 anos vivendo,respirando e discutindo cinema È (nao sei algum adjetivo para caracterizar isto ). E sÛ se faz isso porque nao ha mais o que fazer,. Aqui se esta distante de quase tudo. A cidade mais proxima daqui È San Antonio de Los Banos, algo como se regressassemos aos anos 20, talvez um pouco antes. Inexplicavel aquilo. Espero ter conseguido passar a nocao da quanto causa estranheza chegar aqui. Uma estranheza boa.
No meu quarto ha mais dois brasileiros e dois espanhois. Ainda nao conheci os espanhois, mas os brasileiros sao gente finas. Um de Sao Paulo e outro de Salvador ( acho) mas que trabalha em Minas Gerais. Penso que esses dias serao uma experiencia unica e espero aproveitar ao maximo. Sair daqui, mesmo apos sÛ tres semanas, vai me causar o efeito contrario de chegar. Voltar a civilizacao e sair do cinema.
Vou tentar ter noticias do grenal, que puder, poste.

7 feb. 2009

Amanha vou para a escola. S'o estamos arrumando tudo para sair de Havana. Espero que as coisas fiquem mais baratas.
Ontem fomos no Ballet Nacional de Cuba. Eu nao entendo nada de ballet mas foi bonito. Nao deve ser facil ser bailarino, todos tem seus corpos muito dem definidos. Homens e mulheres. O lugar era semelhane ao Theatro Sao Pedro. Um pouco maior, um pouco mais mal cuidado. Mas de qualquer forma 'e um belo lugar.


Bom ler as postagens de quem le. Agradeco e peco mais. 'E um alento

6 feb. 2009

Que quiserem saber, digo.
Acabamos de chegar de um passeio que foi ate o interior. Pela primeira vez saimos de Havana. Ate que enfim. A regiao onde ficamos em Havana vai te minando a partir que a busca pelo dinheiro, pelo teu dinheiro te enche o saco. Infelizmente se perde um pouco da humanidade, das historias daquelas pessoas. De um modo geral, todos tem que ter algum acesso ao turismo pois o que sobra aos que so possuem pesos cubanos nao 'e bom. Tirando os classicos saude,alimento,....Eu digo os produtos sao poucos e de nao tao boa qualidade aos que so possuem pesos cubanos.
Bom o passeio foi ate Pinales onde ha planatacao de tabaco ( vimos de novo a fabricacao de um puro, comemos uma comida cubana-parecida com a brasileira- e vimos belissimas paisagens), todo trajeto 'e muito bonito, simples mas belo. Da vontade de ficar mais com aquelas pessoas e conversar, sair dos pontos turisticos, iguais em todo mundo penso eu. De qualquer forma foi muito bom ter visto outra face de Cuba, que tambem nao 'e miseravel. Esta longe de esbanjar porem vivem com dignidade. Espero que nas proximas tres semanas na escola de cinema, possamos ir mais para este lado de Cuba mais humano e menos turistico. E isso.

Por favor, vao postando pelo blog. "E mais facil e rapido de acessar. E postem, qualquer coisa que querem saber tambem.

5 feb. 2009

4.2.09-2 parte

Fomos ao cinema hoje assistir ao Cuerno de la Abundancia. Sensacional. Foi uma experiencia realmente tocante para mim. O ingresso para os cubanos é de 2 pesos nacionais, algo em torno de 20 centavos brasileiros. É possível deles irem, e vao. A sala era enorme, muito grande mesmo. Tinha um bom numero de pessoas lá dentro.

Me lembra, apesar de nao ter vivido essa epoca, os cinemas de rua no Brasil. A época da pornochanchada onde os filmes tratavam de temas populares, temas que fazem parte do cotidiano do publico e tratavam com humor. Hoje a historia se passava no interior de Cuba e o filme possuia diversas criticas e ironias ao modo de viver daqui. Retratava a falta de intimidade que os cubanos tem, pois aqui nao se pode comprar habitacoes. Entao duas ou tres geracoes vivem na mesma casa. E algumas outras coisas. Filmes muito bem humorado e o publico posuia uma relacao com o filme que eu nao tinha visto ainda. Quase entravam em transe algumas horas. E tinha bebado, pessoas nem um pouco arrumadas, etc.. bem diferente do que vemos no Brasil, onde a cultura é elitizada, de um modo geral.
Enfim, foi uma experiencia gratificante e mostrou uma relacao publico-cinema mais ‘emotiva’ e que ao meu ver torna a arte do cinema mais bonita. Fica mais distante da frieza de museus e exposicoes de arte que tem pouco ou nehum contato com o maior publico. é o que penso.

Nao posso deixar de falar que o publico ri e apesar de tudo leva com humor algumas situacoes retratadas no filme.

Queria ter conhecido esse pais quando nao havia sido aberto para o turismo com essa forca, pois essa gente é muito boa, mas esta aficionada por dinheiro.

5.2.09

Hoje a maior experiencia foi ter ido a uma f[abrica de charutos, puros habanos como sao chamados por aqui. Muito legal. O processo de ‘fechar’um charuto é todo manual. Ficam todos numa grande sala com uma musica alta, fechando charutos. Para fazer um puro, misturam 5 diferentes folhas em uma determinada quantidade. Fazem de diversas formas e tamanhos. Como é um trabalho monotono há a musica alta, e um homem le noticias para os trabalhadores. Nao tem nada de fechar nas coxas, pelo menos nao ali. Apos ter visto aquilo, passamos a valorizar mais os charutos. É uma arte. O cheiro é bom, e aqui há muitas pessoas que fumam realmente, nao sei qual a porcentagem de cancer mas penso ser menos danoso que os cigarros que se vendem no Brasil e no mundo.

Ali se produzem charutos de todas as marcas que ha em Cuba, todas sao do estado. A mais famosa e cara é Cohiba, mas há diversas e por isso existe uma concorrencia entre marcas que certamente aumentam as vendas ( por diferenca de preco,qualidade, status...das marcas), porem no final o dinheiro vai para o mesmo lugar.

É caro e traz bastante dinheiro para cá. Os EUA nao respeitam o embargo que eles mesmo impuseram e sao um dos maiores importadores. Trampa.

Depois fomos no museo do rum, também muito bem feito. O processo é todo explicado e como a cachaca o rum vem da cana de acucar. A marca mais famosa é Havana Club. Provamos, é bom e forte.

4 feb. 2009

primeiras impressoes

1.2.09

Troco doido!

Uma salva de palmas ao comandante foi o que aconteceu quando pousamos. Porque ? Nao sei. Ja tinha pousado tres vezes so nessa viagem e apenas no destino final, Cuba, houveram aplausos. Ousaria dizer que foi porque a ficha caiu. Estamos em CUBA. Um nome que ja foi sinonimo de prisao e salvacao. De terror e redentor, e por ai vai. Eu pelo menos nao sabia o que esperar, se le e se fala de tudo sobre Cuba. Antes de partir me disseram para tomar banho pois nao sabia se era facil se banhar na ilha. Tambem me pediram para dar um abraco no Fidel, como se estivesse em qualquer esquina fumando charuto. E por fim me encomendaram uma AK-47. É nao é fácil.
Mesmo eu tinha (ou tenho) alguns preconceitos sobre a ilha, quando vi os primeiros carros ainda no aviao, pensei: ó tem até carro. E com uma espécie de deslumbramento observei umas bolas estranhas no solo divididas ao meio, penso eu que é para plantacao. Coisa de comunista.

PRIMEIRAS IMPRESSOES
Realmento é diferente, um troco doido. Desde a chegada, onde a verificacao das malas é feita por cachorros, onde se tenta manter uma ordem para alfandega,raio-x e essas coisas mas tudo vira uma confusao com tanta gente chegando. Depois se ve de tudo, tem cada pinta. Estilo miche-rapper-latino-thug-life nao falta, tampouco mulheres bem arrumadas, as vezes com pouca roupa. Lembra um pouco a farrapos de noite. Os euros sao fogo.
Turista tambem nao falta, os da europa predominam. Nao possuem nenhuma semelhanca com os cubanos, na maioria, mulatos-negros e grandes, fortes. Tanto os homens como as mulheres.
Ficamos hoje mais na area de turismo, na rua das compras, até onde isso é possível. Por isso, com excecao de algumas pessoas o povo é meio mal encarado. Como se estivessem mais de olho nos teus euros do que em ti, sempre ha negocio. Mas tambem é complicado. Como um cidadao que ganha 10 euros por mes, nao ficara diferente com 2.000 euros passando na sua frente. Nao é roubo que eu estou falando, isso nao é comum por aqui. Porem é muita diferenca de dinheiro, sao 200 meses de salario. Mais ou menos 17 anos. Nao há como negar que essa abertura mexeu com a ilha. Para o bem ? Para o mal?
Mas é fato que mexeu, vi uma BMW e um AUDI com placa cubana. Consegui falar com meu celular com meus pais no Brasil. Passei por uma grande vitrine da VANS e da Adidas. Algumas outras coisas seguem iguais, passamos por 184834323 outdores saudando a revolucao e os revolucionarios, comemos um maravilhoso sorvete, passamo por duas senhoras fumando um charuto generoso (parecia um cano de PVC, tinha uns 20 cm), conversamos com grandes pessoas, até que uma senhora venho nos pedir, por sermos brasileiros, para comprar leite ä ela. Golpe? Ainda nao tivemos tempo para saber.

Obs: 26 horas de viajem, entre Gol e Copa. As duas foram muito competentes. Trajeto: PORTO ALEGRE-CURITBA-BELO HORIZONTE-CIDADE DO PANAMA-HAVANA.

2.2.09

Escrevo isto escutando a salsa que meus vizinhos de hotel estao tocando e assistindo a fiesta popular por 10 anos de la revolucion bolivariana. Chavez brada: “ burgueses: descarguem toda sua raiva sobre mim!...” , e o povo grita: “Cu-ba, sabes donde vas!”. Bom, depois do segundo dia em Cuba isto é um certo paradoxo. Nao se ve miseraveis, nao se ouve falar em roubo, sabemos tudo aquilo sobre a boa educacao, saude, alimentacao... mas ao mesmo tempo Havana se virou para o turismo, tambem chamado de capitalismo. Claro que isto traz mais dinheiro a ilha e portanto melhores condicoes para o socialismo e para o povo se manter. Porem para quem vem a procura de uma experiencia socialista, os discipulos de che guevara, nao percebera muito no dia-dia. Podera descobrir mais ao conversar com os cubanos, mas o que se ve no dia-dia nas areas de turismo é a busca pelo dinheiro. Pagase 5 cuc por um sorvete, 10 cuc por uma corrida media de taxi, 10 cuc por um cartaz de filme, 3 cuc por 15 minutos na internet, 5 cuc para entrar no museu da revolucion e por ai vai. Lembrando que 1 cuc equivale a quase 1 euro. O turista ideal parece ser o intelectual de esquerda endinheirado e de preferencia que goste de um bom charuto ( quase 5 euros a unidade ). Mas nem tudo sao flores vejianos. Ha a dignidade, o respeito, a capacidade de improvisacao e de sobrevivencia de um povo humilde mas honesto que vive cada dia sobre e sob um ideal politico. Esta longe de ser uma questao simples a cubana, nao basta defensores de um lado e de outro discutirem utilizando palavras como “sim, mas...”, e o outro responde “sim,mas...”. Ao meu ver é triste e belo ao mesmo tempo, mas pouco interessa aos cubanos a minha opiniao. Seria otimo ouvilos sem que isso custasse a saude, alimentacao ou a educacao deste povo. Nao estou incorporando um discurso veja-conservador mas eu, apos o segundo dia, ainda estou confuso com algumas coisas.

Fomos no museu da revolucao, bem informativo. Nao é requintado mas explica bem a revolucao e os anos que antecedem. Fala da dominacao espanhola e sentimento de liberdade que o povo cubano buscava ante os opressores e ditadores. Quando conseguiram se livrar da dominacao espanhola, viraram colonia dos EUA. Tao tiranos quanto os espanhois. Estavam totalmente abertos ao capital extrangeiro, e o povo vivia realmente mal. Foram quase 100 anos em que uma ideia e um sentimento de que o povo devia tomar as redeas se criou. Entao é inegavel que a revolucao de 59 teve apoio do povo e foi benefica em diversos pontos de vista aos cubanos. ( a revolucao de 1959 foi a quarta ou quinta tentativa de inverter este jogo, e o povo dominar ). Agora falar sobre ela hoje, e bem mais complicado. Por enquanto vou viver um pouco mais dessa realidade, lejos da minha. E acompanhado de um mojito se for possivel.
Obs: Copelia, Coco-Taxi, Duleceria Santa Teresa, Museo de la revolucion,.... e tem mais turista que cubano!

3.2.09

Vou tentar nao por minha opiniao em fatos relatados a mim por um cubano. 1) Ha sim o medo de falar mal do regime, nao e tao grande como ja foi, ate porque se fala mal e reconhece as falhas , porem disse que pode se perder emprego, facilidades e dar somi;o. 2) Ha filhos dos dirigentes da revolucao com regalias que o resto do povo nao pode ter, vivendo na europa, com carros,.... 3) O salario medio do cubano [e de 200 pesos cubanos, ou 11 pesos conversibles ( 10 euros ). Com isto nao se pode fazer nada pois com o turismo na ilha, a maioria das coisas passou a ser cobrada em conversibles. Disseram que se paga a luz,agua,gas e algumas poucas coisas.
4) Desta forma para sobreviver os cubanos roubam ao maximo do estado, ou seja, se o cara trabalha em uma panaderia, rouba um pouco de farinha,acucar,ovos e etc para se manter por mais tempo. O mercado negro [e forte. 5) o mercado negro é forte pois com o que o estado cubano dá por mes ao cubano nao se vive mais de uma semana. 6) O estado cubano dá as craiancas um litro de lite por dia, e depois um litro de iogurt. A educa;ao é de graca e 98% da populacao terminou o 12 grado, ou 3 ano do colegio no brasil. Depois se divide em cursos tecnicos e carreira universitária. 7) As penas sao durissimas, com roubos, drogas e.. Nao é comum se ver droga, e disseram que um cigarro de maconha custa 30 reais mais ou menos, é inviavel para os cubanos. Nem e fala em drogas pesadas( cocaina,...). Ha pouca violencia e roubo, apesar de o estado nao falar sobre quantdade de homicidios. 8) O cinema para os cubanos custa menos de 10 centavos de reais, ou 2 pesos cubanos. Há uma valorizacao da cultura, e ha acesso ao povo. Teatro,cinema,exposicoes...sao baratas para quem vive aqui. 9)Os cubanos reconhecem o que ha de bom, educacao,saude,cultura mas parecem ter um certo receio de falar algumas coisas. Depois do primeiro contato se tornam muito gentis, mas parece ter um receio de falar mal, ou bem da ilha. 10) Há muitas jineteras, prostitutas por aqui. Nao sei qual o preco mas sei que há. 11) Há 4 canais de tv na ilha, todos do governo. 12) Se eu como turista for até a marina e pagar para alugar um barco, posso pega-lo e dar uma volta pelo caribe. Se eu pagar para um cubano, ele nao pode, se ele juntar o dinheiro e pagar ele, tambem nao podera. 13) Este relato numerado e frio nao tem nada ver e nao corresponde em nada com o povo cubano ( os que conheci ).

Ontem por exemplo o chefe de seguridad do hotel me levou até umas 4 quadras para mostrar uma loja. O homem do bar se ofereceu para,caso alugassemos um carro, dirigir e ser nosso guia. As novelas brasileiras realmente fazem muito sucesso por aqui.
Fomos ao museo de Bellas Artes, é muito bonito e uma bela homenagem aos artistas cubanos. Tudo que tem la dentro foi produzido por artista daqui. Me chamou atencao Frésmet. Fizemos um citytour, a praca da revolucao,capitolio,universidad de Havana, malecon,havana vieja.

“esta ciudad es un museo” chofer

4.2.09

Realmente as coisas sao estranhas aqui. Andando pelas ruas, nas areas mais turisticas de Havana, tem-se a impressao de que o povo esqueceu e perdeu toda sua dignidade e historia por um punhado,mesmo que gordo, de euros. Talvez eu esteja sendo duro, mas lembram macacos fazendo graca em uma jaula para que os visitantes ponham dinheiro. O povo é gentil e bom, mas nao tivemos nenhum contato sem ter havido dinheiro,regalos ou propinas envolvido. As vezes eles nem pedem, fazem as coisas por boa vontade, como Rafael o homem da seguridad do hotel. Porem sabe-se que precisam, entao damos algo. O euro é absurdamente mais valorizado que o peso cubano ( em torno de 26 vezes ) e isso cria com o turismo duas classes, a dos cubanos e a dos turistas. Sao classes sociais distantes e como ha turismo o ano todo, e como Cuba necessita do turismo pode-se dizer,ao meu ver, que há classes em Cuba. Hoje por exemplo eu comprei 25 dvd`s virgens para levar a escola de cinema, me custou 27 pesos conversibles. Isso é em torno de 4 salarios medios nacionais.Algo impossivel para os cubanos. Como quase tudo é vendido em pesos conversibles, precisam tanto, do dinheiro dos turistas que ja vem em pesos conversibles, e para isso fazem de tudo. Se isso nao é diferenca de classes, eu nao sei o que é.

Estavamos vendo livros a venda nas ruas, e um moco veio nos dizer para comprar em outro lugar que era mais barato. Soube que nos eramos do Brasil e falou que ali ( e parece que em toda Cuba ) era para turista europeus. Bom entendo desta forma, o turismo que Cuba se propoe a fazer funciona como um ‘ajustador mundial de classes’. Querem que os extrangeiros endinheirados, principalmente do norte do mundo venham aqui e gastem tudo o que podem. Para assim as coisas ficarem mais justas. Para nós as coisas sao caras. E sao impossiveis para qualquer cidadao médio-podre do terceiro mundo.

As coisas se tornam chatas a medida que parece que todos estao esmolando algo, nas ruas há bastante gente pedindo, e de alguma forma tentando levar algum euro teu. Como no Brasil aqueles mulheres que botam seus filhos nas esquinas.

O exemplo disso sao as jineteras se oferecendo aos estrangeiros imperialistas-yankess para que as fodam e depois entreguem seu dinheiro. Isso nao é símbolo de liberacao sexual como eu li ha pouco, isso é exploracao pelo dinheiro. Dinheiro sobre a honra, e a dignidade de um povo.
Enfim ha dois sistemas na ilha, o capitalista ( com tudo que tem de pior ) aos extrangeiros e o socialista-comunista aos cubanos. Isso tudo é triste, pois como sempre quem realmente sai perdendo é o povo. E se realmente for verdade que os filhos dos dirigentes tem acesso a estudos no extrangeiro e outras regalias, todos estes mereceriam a prisao.

Obs: falo com base no que vi em Havana, nao fui ao interior e nem em nenhuma outra cidade.
Criei esse blog hoje, ja venho escrevendo no computador algumas impressoes sobre Cuba desde o primeiro dia. Vou tentar posta-las. Hoje Nao sei se vou conseguir hoje. E'E tudo muito caro .
Abraco

teste

la vem!

teste

la vem!